domingo, 13 de janeiro de 2019

Ferreira de Castro, CANÇÕES DA CÓRSEGA (1936)



«Se espraiávamos os olhos em redor, para cima, para baixo, para a direita e para a esquerda, tudo era branco e tudo nos dava uma sensação de soledade imensa.»

Sem comentários:

Publicar um comentário